Instituto Mexicano de Relaciones Grupales y Organizacionales
Mexican Institute of Group and Organizational Relations

Algumas características para estudo comparativo do

STUDY GROUP (Tavistock) e T GROUP (NTL)

Elaborado por Fela Moscovici

(De Psicodinámica del Grupo T - Ed. Paidos, Buenos Aires, 1975)

PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE COORDENADORES DE DINÂMICA DE GRUPO
/ PROGRAMA DE FORMACION DE COORDINADORES DE DINAMICA DE GRUPO

Objetivo(s)

Estudar seu próprio comportamento como ocorre no aqui-e-agora (autoconscientização, autoconhecimento).

Pressupostos

SG - Quando um indivíduo fala o faz pelo grupo ou uma parte do grupo. Conceptualização grupal em termos da relação com a figura de autoridade.

TG - Para autoconscientização e autoconhecimento. O indivíduo precisa relacionar-se com outros membros que lhe darão feedback válido.

Treinador

SG - Consultor - observador e comentador das ações e reações do grupo. Permanece desengajado.  Comportamento afastado e não diretivo, planejado para frustrar necessidades de dependência dos membros.  A frustração aumenta a ansiedade e produz ódio dele.

TG - Coordenador - exemplar de comportamento de "bom membro". Dá feedback direto mas não avaliativo.  Aberto no reconhecimento e aceitação de seus próprios sentimentos. Papel de "líder participante". 

Contexto

SG - Originário de ambiente clínico de um ethos cultural preocupado com relações de autoridade. O processo de transferência permite aos membros mais sofisticados aprenderem mais sobre os aspectos irracionais do comportamento em grupo. Modelo hierárquico por natureza (um supervisor e vários inferiores - consultor e membros) refletindo valores da culturaa britânica.

TG - Reação contra o autoritarismo dos movimentos fascistas pré e durante a Segunda Guerra Mundial.  Modelo especialmente talhado para os EUA, com ênfase em estrutura e interação democráticas.

Modelo

SG - Manutenção de ansiedade elevada para percepção, insight e sob condições de ter, tensão e tédio.  Modelo de sucesso: o Consultor. Modelo elitista. Aprendizagem de origem psicanlítica.

TG - Ansiedade inicial relacionada a medo de solicitações e exigências excessivas de sua pessoa.  Papel de "bom membro". Modelo de de sucesso: líder participante. Modelo democrático, aprendizagem de massa.

Funcionamento

SG - Ênfase no grupo, pouca atenção à dinâmica individual. Frustração e ansiedade conduzem a manifestações dos grupos de "supostos básicos" que ignoram outros objetivos e abandonam o trabalho intelectual. Experiência direta para conhecer as formas pelas quais sentimentos primitivos poderosos compartilhados podem dominar a vida do grupo.

TG - Coordenador, pelo exemplo de espontaneidade, interdependência e aceitação de si mesmo, facilita o desenvolvimento de clima de confiança, para abertura, comunicação, sensibilidade aos outros, levando ao crescimento emocional e competência interpessoal.

Orientação

SG - Mapa cognitivo dos processos primitivos atuantes no grupo, através de atenção a sentimentos e comportamentos.

TG - Mais orientado para o comportamento modificável, diretamente observável.

Clima Emocional

SG - Começa com medo, hostilidade, agressão. Pode evoluir para afiliação e afeição.

TG - Começa com tentativas de abertura, afeição e calor humano. Pode evoluir para a hostilidade e agressão.

Relações entre os membros

SG - Derivadas das relação do grupo com o Consultor. (Conceito freudiano de horda primal). Problema maior inicial: relacionamento com o Consultor (figura paterna primal). Rivalidade entre irmãos, desejos (secretos) de relação exclusiva com o pai (favoritismo), de dominar e destruir os que competem por atenção, calor, sexualidade, poder e sabedoria do consultor-pai primal.

TG - Escolhas e competições vistas como dificuldades em confiança, relacionamento e intimidade e não interpretadas em função do Coordenador. Tentativas de relacionamento vistas como válidas e não como regressivas. Atividades não-verbais lícitas como novas experiências para desenvolvimento pessoal e interpessoal

Aprendizagem

SG - Relações com figuras de autoridade e fantasias associadas. Fantasias encorajadas e comentadas pelo Consultor.  Relações membro-membro podem ser evitadas ou ignoradas. Ambiente para obter insight sobre funcionamento de grupo. Técnica baseada na teoria psicodinâmica. Premissa: pelo exame do processo de transferência o indivíduo obtém insight sobre seu funcionamento e então tem permissão para mudar.

TG - Ambiente para "modelagem" de comportamentos adequados. Premissa: aprende-se desenvolvendo novos conceitos e então tendo oportunidade de praticar novas habilidades e comportamentos. Aspectos positivos do indivíduo e do grupo são ressaltados, com ênfase em mudanças observáveis, baseados em plasticidade e possibilidades de mudança.

Semelhanças teóricas

Cada indivíduo no grupo age por si mesmo e pelo grupo.

Foco de Atenção

SG - Como o indivíduo age pelo grupo (origem: teoria psicanalítica individual).

TG - Como o indivíduo se expressa no grupo (origem: teoria psicossocial).

Terminação

SG - Tende a preocupar-se com o próprio fim e necessicade de explorar os processos de separação do indivíduo do grupo. "Preparação de seu próprio funeral".

TG - Tende a evitar o confronto de sua terminação e insistir na possibilidade de continuação.  Negação da realidade ("amante inconformado com a separação").

As duas posições teóricas podem ser vistas como complementares e sua vivência como logicamente sequêncial:

1. Começar o treinamento de grupo no Study Group para experienciar o primitivismo da vida grupal e o poder e a irracionalidade do grupo

2. Passar para T-Group para experienciar o modo pelo qual a colaboração intencional (com uma base de compreensão da Dinâmica de Grupo) pode reestruturar uma experiência de grupo para propiciar crescimento individual e melhor desempenho grupal.
 


EXIT  / SALIDA

ii 2016
x 2013

vi 1999