Instituto Mexicano de Relaciones Grupales y Organizacionales
Mexican Institute of Group and Organizational Relations

CULTURAS IDEOLÓGICAS, COMPORTAMENTAIS E MATERIAIS DE INDIVÍDUOS E GRUPOS

Pitirim Sorokin

Novas Abordagens Sociológicas
 



Um indivíduo ou grupo pode possuir um dado fenômeno cultural apenas sob a forma ideológica. Por exemplo, um indivíduo ou grupo pode conhecer muito bem a ideologia - isto é, a totalidade dos significados, valores e normas - do comunismo ou do budismo, sem praticá-los, sem objetivá-los mediante um conjunto de objetos e veículos materiais, tais como um templo budista com os respectivos objetos rituais ou um clube comunista com os seus retratos de Marx, Lenin e Stalin. Os cristãos que professam ideologicamente o Sermão da Montanha, mas não o põem absolutamente em prática em sua conduta ou em sua cultura material, são apenas cristãos ideológicos. O mesmo se aplica a todo fenômeno cultural que funciona unicamente no nível ideológico, sem influenciar a conduta e a cultura material de indivíduos e grupos. 

Quando indivíduos e grupos começam a praticar em suas ações exteriores as ideologias do comunismo, do cristianismo ou do budismo, suas culturas se tornam comportamentais além de ideológicas. Quando, além disso, as ideologias se concretizam através de veículos materiais que as "encarnam" e "objetivam", o budismo, o comunismo e qualquer outro fenômeno cultural (significativo) assumem uma forma "material". 

Destarte, todo fenômeno cultural pode apresentar-se sob uma forma quer puramente ideológica, quer ideológica e comportamental, quer ideológica, material e comportamental. A forma puramente ideológica é a que tem raízes menos fortes no universo empírico. Quando se enraíza na conduta e nos objetos materiais de um indivíduo ou grupo, torna-se mais profundamente e mais fortemente consolidada do que quando permanece mera ideologia. Como realização comportamental e material, converte-se num fator a moldar não só idéias e significados, mas também a conduta exterior e as relações mútuas de seres humanos em seus objetos e processos tanto físicos como biológicos. 

Em resumo: (1) a totalidade dos significados-valores-normas possuídos por indivíduos ou grupos constitui a sua cultura ideológica; (2) a totalidade de suas ações significativas, através das quais se manifestam e realizam os puros significados-valores-normas, representa a sua cultura comportamental; e (3) a totalidade de todos os outros veículos, os objetos e energias materiais e biofísicos por meio dos quais se externa, consolida e socializa a sua cultura ideológica, forma a sua cultura material. Deste modo, a cultura empírica total de uma pessoa ou grupo é composta desses três níveis culturais - o ideológico, o comportamental e o material.
 
 

EXIT  / SALIDA

ii 2016
ix 2013

vi 1999